Donate do SVB

resposta veja0511O risco de demência está associado à deficiência de vitaminas, não ao vegetarianismo.

A recente matéria publicada pela Veja chama atenção não só pelo sensacionalismo da manchete, mas também pela falta de fundamentação científica.

O Posicionamento da Academia de Nutrição e Dietética Americana, em sua última publicação, em 2016, é enfático: as dietas vegetarianas e veganas adequadamente planejadas, como todas devem ser, são saudáveis, nutricionalmente adequadas e podem fornecer benefícios à saúde na prevenção e tratamento de certas doenças.

A falta das vitaminas apontada na matéria realmente pode estar associada a problemas neurodegenerativos, como a demência, porém a alimentação vegetariana, estrita ou não, é capaz de provê-los. 

Há uma grande quantidade de ômega-3 em sementes de chia e linhaça, e uma alimentação mais natural e integral, como a vegetariana, possibilita a melhor conversão desse ácido graxo no organismo. 

A colina está muito presente em diversos alimentos vegetais, como na aveia, nos produtos à base de soja, no brócolis e na quinoa, por exemplo. O excesso de colina está relacionado com o aumento de oxidação no organismo, através do TMAO que pode levar a doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, e ao envelhecimento precoce. 

A vitamina B12 é de origem bacteriana e animais são capazes de produzi-la através das bactérias de seus organismos. Em humanos a produção não é eficiente, e aproximadamente 40% da população onívora no brasil apresenta deficiência, enquanto 50% dos vegetarianos estão carentes da vitamina. Isso demonstra que, independentemente da dieta, todos devem regularmente checar seus níveis de B12 e, se necessário, suplementar de acordo. 

Para finalizar, um recente estudo de metanálise (estudo com maior força de evidência científica), chamado “Os efeitos das dietas à base de plantas no corpo e no cérebro: uma revisão sistemática”, declara que a alimentação vegetariana natural e integral é capaz de prevenir diversas doenças, e que não há qualquer evidência de relação entre dieta vegetariana com o aparecimento de doenças neurodegenerativas, como a demência.

Nós da Sociedade Vegetariana Brasileira acreditamos no poder da informação e nosso objetivo é levá-la sem alarmismos, sempre baseando-nos em dados científicos. Dessa forma, reafirmamos que a alimentação baseada em vegetais (vegana) é benéfica para a saúde, além de preservar os animais e causar menores danos ambientais.

Nutricionista Maria Julia Rosa CRN 14630 - Conselheira da SVB

 

Referências bibliográficas:

- https://www.nature.com/articles/s41398-019-0552-0

- COUCEIRO, P.; SLYWITCH, E.; LENZ, F.; Padrão alimentar da dieta vegetariana. Einstein, 2008. 6(3): p. 365-373.

- http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=516934&indexSearch=ID

- Gut Microbiota Metabolites and Risk of Major Adverse Cardiovascular Disease Events and Death: A Systematic Review and Meta‐Analysis of Prospective Studies | Journal of the American Heart Association

- Implication of Trimethylamine N-Oxide (TMAO) in Disease: Potential Biomarker or New Therapeutic Target. - PubMed - NCBI

 

 

Matéria da Veja:
https://veja.abril.com.br/saude/veganos-e-vegetarianos-tem-maior-risco-de-demencia-diz-especialista/

Receba as novidades!

Receitas

Midia

Youtube SVB

Scroll to top