bompratosscdez2017

Existente em mais de cem municípios e beneficiando mais de 3 milhões de pessoas, a campanha brasileira é a que apresenta maiores impactos do mundo

A Segunda Sem Carne surgiu em 2003 nos Estados Unidos e hoje já está presente em mais de 40 países, mas é no Brasil que ela tem gerado mais impacto recentemente.

Por aqui, a iniciativa foi lançada em 2009. De lá pra cá, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), vem trabalhando para que a substituição da proteína animal pela proteína vegetal, pelo menos um dia por semana, seja implementada pelo poder público, diminuindo a demanda coletiva por produtos de origem animal e gerando benefícios para a saúde das pessoas, para o meio ambiente e para os animais.

 

Para alcançar esse objetivo, a SVB tem contado com parcerias importantes como a do ambientalista e deputado estadual Roberto Tripoli, da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, das Secretarias da Educação e de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo, entre outras. Juntos, os programas pouparam, neste ano de 2017, nada menos do que duas mil toneladas de carne.

ssc2017

 

Nas escolas municipais de São Paulo, a introdução do cardápio vegetariano se iniciou gradualmente em 2011, passando por criteriosos testes de aceitação dos alunos. “A implementação da merenda vegetariana em uma rede de ensino ampla e complexa como a de São Paulo demonstra que esta experiência pode ser levada adiante em qualquer município brasileiro”, incentiva Alexandre Schneider, Secretário Municipal de Educação de São Paulo. Na rede municipal cerca de 1 milhão de alunos são beneficiados, poupando 436 mil Kg de carne ao longo de um ano. E o melhor: os alunos aprovam o cardápio.

Já na rede estadual de ensino de São Paulo, a Segunda Sem Carne virou realidade em 2017, alcançando a marca de 100 municípios participantes em agosto de 2017. No cardápio, feijoada vegetariana com feijão preto e legumes, além dos tradicionais arroz e couve como acompanhamento. “Além de incluir no cardápio, a Secretaria também está orientando as escolas e os próprios estudantes sobre os benefícios dos pratos alternativos. Tanto, que neste ano, o tema escolhido para a Semana de Alimentação Escolar é o consumo consciente de proteínas de origem animal e vegetarianismo. Palestras sobre os riscos de doenças cardiovasculares e diabetes, impacto ambiental decorrente da criação de animais para o consumo humano e a diminuição da emissão de gases do efeito estufa foram incluídas na programação, de acordo com o ciclo de ensino e região”, segundo a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. 

 

bompratosaomiguel5

 

A Segunda Sem Carne, porém, não se limita a ambientes escolares. Desde 2014, os restaurantes populares do programa Bom Prato também começaram a substituir a proteína animal pela proteína vegetal às segundas-feiras. “Essas refeições contribuem para uma melhor saúde dos usuários do Bom Prato, já que as proteínas vegetais – como soja, feijões e outros alimentos – são vantajosas para evitar diabetes, hipertensão, obesidade e doenças cardiovasculares”, explicou Floriano Pesaro, Secretário de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo. No ano de 2017, os mais de 4 mil usuários das unidades participantes deixaram de consumir 34 toneladas de carne, colaborando para a redução da pegada ecológica do governo, além de poupar vidas.

O ambientalista e deputado estadual Roberto Tripoli, que desde 2010 abraçou a campanha e tem promovido grande parte dessas conquistas, explica por que considera essa mudança importante. “É tempo de abrir os leques, mostrar novas opções de consumo responsável. A população, principalmente os jovens, devem ser informados sobre novas possibilidades de consumo e comportamento, inclusive na alimentação. O menor consumo de carne vem sendo recomendado não somente por questões envolvendo a saúde humana, mas o equilíbrio ambiental e pelos animais”, argumenta Tripoli.

SVB acredita que a substituição da proteína animal pela proteína vegetal será uma realidade cada vez mais frequente, seja em escolas, restaurantes populares ou no mercado e sociedade como um todo. “É o que acreditamos e promovemos, em benefício da saúde das pessoas, do meio ambiente e dos animais. É um caminho sem volta”, pontuou Monica Buava, coordenadora nacional da campanha Segunda Sem Carne.

Receba as novidades!

Receitas

Midia

Scroll to top