O Guia Alimentar do Ministério da Saúde está disponível para consulta pública e não traz a possibilidade de o indivíduo adotar uma dieta vegetariana, apesar de quase 10% da população brasileira já se declarar vegetariana.

A publicação serve como referência para políticas públicas estaduais, municipais e de instituições privadas na área de saúde e alimentação em todo o Brasil. Na edição anterior (2008), havia uma página dedicada ao vegetarianismo, mas que não passava informações adequadas para que o indivíduo pudesse adotar essa dieta. A edição atual (2014) sequer menciona o vegetarianismo.

Devido à exclusão do tema na edição de 2014, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) elaborou um parecer oficial que foi enviado aos responsáveis pela elaboração do Guia. O documento pode ser acessado na íntegra aqui e descreve as considerações da SVB sobre alterações que precisam ser feitas no Guia nos aspectos nutricional, ambiental, ético e econômico.

A SVB também submeteu suas contribuições na plataforma de consulta pública oficial (no site do Ministério da Saúde), na esperança de que o Guia seja significativamente melhorado de modo a contemplar a alimentação vegetariana e o crescente número de brasileiros que faz esta escolha.

Diversos conselhos de nutrição ao redor do mundo, como a American Dietetic Association (EUA) e o Conselho Regional de Nutrição 3ª Região (Brasil), asseguram que a dieta vegetariana, incluindo a "vegana" (vegetariana estrita), pode ser adotada por qualquer pessoa e em qualquer fase da vida.

Há indícios de que o parecer da SVB foi bem recebido e tem chances reais de ser utilizado para melhorar o Guia na sua versão definitiva. Veja o vídeo do debate que ocorreu na Faculdade de Saúde Pública da USP e reuniu muitos especialistas envolvidos com o tema, incluindo o Professor Carlos Augusto Monteiro, do Departamento de Nutrição da FSP, que menciona as contribuições enviada pela SVB qualificando-a como "muito pertinentes".

 

Você também pode participar da consulta pública e solicitar que o vegetarianismo seja contemplado de forma positiva no Guia.

 

MANIFESTE-SE NA CONSULTA PÚBLICA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Para contribuir na consulta pública, você deve seguir o passo-a-passo abaixo. O processo todo toma de 10 a 15 minutos, mas sua contribuição pode fazer a diferença.

 

2) Uma vez cadastrado, acesse a página que exibe as consultas públicas em aberto e clique em "Contribuir".

3) Faça seu login.

4) De volta à página que exibe as consultas públicas em aberto, clique no ícone do lápis () para contribuir.

5) Faça as contribuições que julgar pertinentes. Veja abaixo nossas sugestões para cada capítulo:

  • Na Introdução citamos o fato de quase 10% da população brasileira ser vegetariana e o guia não contemplar essa parcela da população.
  • No Capítulo 1 fala-se de meio-ambiente e ética, mas não se fala em vegetarianismo.
  • No Capítulo 2 fala-se muito em meio ambiente, mas não é citada a pecuária.
  • No Capítulo 3, parte II, incentivamos os donos de restaurantes a fazer feijões sem carnes. É nessa parte que o Guia fala sobre carnes, mas não dá a possibilidade de a pessoa viver sem ela.
  • No Capítulo 5 é dito que frutas e verduras são os itens mais caros da dieta. Na nossa percepção, são as carnes e laticínios.

 

Você também pode compartilhar esta notícia ou o post da SVB no Facebook sobre o tema, fazendo esta demanda alcançar mais pessoas e instituições.

 

Para ver o parecer completo da SVB, clique aqui.

Para ver o Guia Alimentar do Ministério da Saúde (Versão para Consulta Pública), clique aqui.

 
 
 
 

Receba as novidades!

 
 

Receitas

Midia

Scroll to top