Vegfest 2017

vegfest

O maior evento vegetariano da América Latina está chegando. Faça sua inscrição!

Acesse

Segunda sem Carne

Para quem não é vegetariano e quer dar o 1º passo. Empresas e prefeituras estão aderindo.

Experimente  

Selo Vegano

Um programa de certificação que fomenta e valoriza o mercado de produtos veganos.

Conheça 

Junte-se a nós

Sem você, a SVB não existe. Junte-se a nós para que possamos fazer cada vez mais.

Envolva-se  

Loja Virtual

livreto leites queijos veganos 228x228

Camisetas, babylooks, bottons, livros, DVDs e outros produtos para você usar por aí.

Compre agora  

Em Belo Horizonte, o principal evento de cinema e ética animal aconteceu entre os dias 6 e 12 de agosto - recebendo destaque na grande mídia (veja matéria no G1). Já no Rio de Janeiro, ocupando a cinemateca do icônico Museu de Arte Moderna (MAM-RJ), no Aterro do Flamengo, o evento aconteceu de 20 a 22 de novembro (veja matéria na Band). Ambas as edições foram destaque na programação cultural das duas cidades, lotando as salas com exibição de filmes premiados, bate papos e feira vegana.

A entrada de todas as edições da Mostra Animal é gratuita, incluindo a edição nacional que acontece a cada ano em Curitiba. A próxima edição nacional será no Museu Oscar Niemeyer (Museu do Olho), cartão postal da capital paranaense, em maio de 2016.

A programação contou com mais de 20 produções nacionais e internacionais, que questionaram temas como abandono de animais, criação para consumo, uso de animais para testes e pesquisas, animais mantidos em cativeiro, entre outros.

Entre os destaques, foi exibido o filme Peaceable Kingdom: A Jornada, que conta histórias de fazendeiros que cresceram em meios de criação de animais para consumo, mas passaram a questionar esse modo de vida. O longa-metragem venceu prêmios como melhor filme escolhido pelo público no Festival Internacional de Berkshire, e grande prêmio do júri no Festival Internacional do Canadá.

Leia mais...
comendoplaneta

Documento avalia a relação entre a criação de animais para consumo e várias das crises ambientais atuais, como o desmatamento e degradação de biomas brasileiros, a emissão de gases de efeito estufa, as crises hídricas e a proliferação de zonas oceânicas mortas.

As relações entre a criação de animais para consumo e várias das crises ambientais atuais são apresentadas no dossiê Comendo o Planeta: Impactos Ambientais da Criação e do Consumo de Animais. Produzido pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) sob a coordenação de Cynthia Schuck, doutora pela Universidade de Oxford, consultora científica e coordenadora do Departamento de Meio Ambiente da SVB, em parceria com a jornalista Raquel Ribeiro, o relatório pretende ser um guia abrangente, para leigos e especialistas.

VEJA O RELATÓRIO NA ÍNTEGRA

Leia mais...
21dias

Que tal ficar 21 dias sem comer carne? Esse é o desafio que mais de 30 mil pessoas aceitaram em 2015, incluindo Júnior Lima - por compaixão aos animais e preocupações de saúde e ambientais.

O Desafio foi lançado pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) em parceria com o portal Veggo, e com apoio da Ampara Animal e do Instituto Luisa Mell.
 
"O desafio foi pensado para ajudar pessoas que querem descobrir novos sabores e adotar uma alimentação mais ética, saudável e sustentável", explica Mônica Buava, gerente de campanhas da SVB.
 
Lucas Alvarenga, fundador do portal Veggo, complementa: "A alimentação sem carne é nutricionalmente completa, ambientalmente positiva e pode ser deliciosa".
Leia mais...

O Vegfest 2015, o maior congresso vegetariano da América Latina, encerrou no último sábado (26) a programação da quinta edição brasileira do evento, superando as expectativas de público. Ao todo, foram mais de 120 horas de conteúdo, entre palestras, demonstrações culinárias e cursos de capacitação, em quatro dias de atividades sediadas pelo Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Aproximadamente 900 pessoas, vindas inclusive de outras cidades e países (como Argentina, Estados Unidos, Áustria, Suíça, Jamaica, Ucrânia e Grécia) se inscreveram para participar das palestras e oficinas do evento. O número total dos visitantes é ainda maior, já o valor citado não contabiliza os não-inscritos que circularam pela feira vegana e participaram do último dia de atividades do Vegfest, que foi aberto ao público gratuitamente.

Leia mais...

Foi promulgada pela Câmara Municipal de Sorocaba, no dia 6 de agosto de 2015, a Lei Municipal nº 11.153, que proíbe o comércio de foie gras ("fígado gordo" de gansos e patos) no âmbito do município. O Prefeito de Sorocaba, Antonio Carlos Pannunzio, tinha até o dia 5 de agosto para sancionar ou vetar a lei. O prazo esgotou sem uma decisão e, como manda o processo legislativo, o projeto voltou para a Câmara Municipal - e foi promulgado. A lei entra em vigor em fevereiro de 2016 e a infração acarretará em multa no valor de 5 mil reais para o estabelecimento infrator - valor que é dobrado em caso de reincidência.

No dia 27 de novembro, foi a vez do município de Blumenau (SC) proibir "qualquer prática de alimentação forçada para a produção de foie gras", inviabilizando assim sua produção como um todo.

 

Em São Paulo, SVB e Prefeitura aguardam julgamento do TJ para manter a proibição.
 
Na capital paulista, o prefeito Fernando Haddad sancionou lei semelhante antes - no dia 25 de junho -, logo após receber das mãos de ativistas um abaixo-assinado com quase 100 mil assinaturas.
Leia mais...

Após mobilização da SVB com Luisa Mell e outras organizações e celebridades, Prefeito Fernando Haddad sanciona Lei Nº 16.222 e faz história pelos animais

VEJA TAMBÉM A CARTA ABERTA AOS RESTAURANTES DE SÃO PAULO, PUBLICADA EM 29 DE JUNHO DE 2015

O Projeto de Lei Nº 537/2013, prevendo a proibição do comércio de foie gras ("fígado gordo" de ganso) e de artigos de vestuário com peles de animais, havia sido aprovado por unanimidade na Câmara dos Deputados em 12 de maio, e aguardava sanção do Prefeito Fernando Haddad.

Nesta quinta-feira (25 de junho), um dia após receber das mãos de Luisa Mell o abaixo-assinadodo da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) em parceria com o Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal (FNPDA) contendo mais de 95 mil assinaturas, a prefeitura anunciou nas suas redes que o projeto de lei havia sido sancionado, tornando-se a Lei Municipal Nº 16.222 (veja sanção da lei no Diário Oficial).
 
A Lei entra em vigor dentro de 45 dias. Ou seja, a partir do dia 10 de agosto de 2015 a venda do foie gras ou de qualquer artigo de vestuário com peles de animais, em todo o território da cidade de São Paulo, será ilegal e poderá ser denunciado às autoridades.
Leia mais...

Receba as novidades!

 
 
Scroll to top